quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

EDITORIAL - RESPECTIVA 2010.

Neste primeiro ano de atuação da Associação Paulista dos Gestores Ambientais – APGAM - finalizamos o ano de 2010 com o desejo, e a mesma energia do dia 18 de Novembro de 2009, data de sua fundação. Estávamos formando um novo grupo para colaborar com as frentes já existentes, para o reconhecimento e regulação profissional da Gestão Ambiental. Os desafios dentro do propósito estabelecido por seu “Estatuto” viabilizando suas ações operacionais, se utilizando da distribuição administrativa e geográfica das Bacias Hidrográficas do Estado de São Paulo. Uma metodologia aplicável, que ofereceu ao longo do período bons resultados práticos. No inicio do mês de Maio à Associação tornou-se de fato uma organização constituída atendendo a todos os preceitos como “Pessoa Jurídica”. Imediatamente, com recursos provenientes de seus diretores inicia a busca dos patamares jurídicos, avaliando os projetos que transitavam na Câmera Federal e seus parlamentares, analise dos movimentos produzidos por outras importantes organizações, inclusive acadêmicas, com o objetivo da regulação profissional de nossa categoria. Uma vez detalhado todo cenário tivemos a certeza que precisávamos formar ações identificadoras, de posicionamento profissional e político, que teve seu inicio pragmático com a instalação no mês de Julho da 1ª Conferência Paulista dos Gestores Ambientais (1ª CPGA). E convidamos os palestrantes: Dr. Paulo Wollinger (Ministério da Educação), Dr. Roberto Mello (Ministério do Trabalho), Marcelo Candido (Prefeito de Suzano – Rep. do Subcomitê Tiête Cabeceiras), além dos Coordenadores dos Cursos de Gestão Ambiental e representantes dos Conselhos Profissionais. Realizada no CAMPUS da Universidade Federal de São Paulo (Unidade Guarulhos/SP) a 1ª CPGA já estava antecipando na palestra do Dr. Paulo Wollinger alguns resultados que estamos aferindo neste fechamento de 2010 – dizia “Ainda faltam algumas questões para uma melhor formação do aluno na área de Gestão Ambiental. O curso precisa ter uma melhor divulgação, ser mais conhecido no Brasil”. A própria 1ª CPGA foi atingida casualmente apesar da divulgação, da mínima participação dos acadêmicos e graduados em Gestão Ambiental. Mas de forma pratica e positiva, subtraímos deste evento propostas iniciais, para identificar os atuais patamares, posicionamentos com relação ao reconhecimento e regulação profissional, e principalmente os profissionais que estão diretamente ligados as estas questões regulatórias nos Ministérios da Educação e do Trabalho. A Associação Paulista dos Gestores Ambientais – APGAM, concluiu que devíamos ampliar a nossa participação como profissionais da área ambiental, nos eventos, palestras e audiências publicas, para que a sociedade e o próprio Gestor Ambiental possam perceber, que somente com a sua participação podemos ampliar e abrir novos espaços. O exemplo teve a eleição dos membros (ONG`s) do CONSEMA que foi presidida pelo Ga. Renato Morgado (ESALQ/Imaflora), os esforços promovidos pelo Ga. Paulo Costa (FMU) na discussão da qualificação das ações ambientais proposta pelo EIA/RIMA do Rodoanel – Trecho Norte. Em prismas diferentes de atuação, mas que geram divulgação e reconhecimento do profissional na sociedade. O fato é que ao final de 2010 avaliamos que à Associação, ganhou um rico acervo, para compor seus objetivos e metas para 2011. E esclarecer para o profissional de Gestão Ambiental, se desejamos de fato o “reconhecimento e a regulação profissional” temos que nos apresentar e participar efetivamente das questões e das ações de sustentabilidade em suas regiões, dando o devido peso ambiental ,social, econômico e político. Não importa em qual condição operacional: consultoria, voluntaria, empreendedora ou empregatícia. A razão é que devemos participar e ter a coragem de transpirar e oferecer a nossa vocação ambiental, pois esta é a carreira profissional que aspiramos. A Associação Paulista dos Gestores Ambientais – APGAM chega ao final de 2010, com uma excelente aprovação, com 13.500 acessos em seis meses de atuação de seu blogger, fechando o ano de 2010 com 105 matérias, envolvendo diversas ações ambientais, profissionais e sociais. E continuará oferecendo junto aos Gestores, profissionais, amigos da área ambiental, e em especial para seus colaboradores, um espaço importante de comunicação, e com novidades para o próximo ano, inclusive para atender adequadamente os acessos diários dos internautas da rede mundial, a exemplo: EUA, Portugal, Espanha, Canadá, Alemanha, Reino Unido, França, Holanda, Japão, Rússia, Hungria, Argentina, Peru, Colômbia, Croácia, Eslovênia e Moçambique. Sendo que os acessos dos EUA chegaram a 10% do volume, que demonstra que o nosso país na área ambiental, é zona de interesse de todo o planeta, portanto temos que nos apresentar e participar, estes são verbos importantes e definitivos para nós Gestores Ambientais. E toda a nossa Diretoria expressa o forte desejo para 2011, repleto de bons projetos e muito sucesso em todos os eventos direcionados especialmente a Gestão Ambiental. E aos amigos seguidores e profissionais de diversas áreas, que nos apóiam incondicionalmente, enviando mensagens, críticas, comentários, agradecemos e desejamos saúde e felicidades a todos.

DIRETORIA EXECUTIVA:

Presidente – GA. Fransueldo Pereira - Vice Presidente - GA. Fátima Gesualdo
1º Secretario - GA. Gervasio Antonio - 2º Secretario - GA. Noel do Carmo
1º Tesoureiro - GA. Vilma Maria Pupo - 2° Tesoureiro - GA. José Bento Candido
Diretor de Participação e Projetos - GA. Valter Lima,
Diretor de Comunicação e Imprensa - GA. José Ramos de Carvalho
Diretor Administrativo - GA. Rozimá Araujo
Diretor Institucional - GA. Manoel Sobrinho
Diretor de Assuntos Jurídicos - GA. Valdizar Albuquerque
Diretor de Marketing - GA. Valéria Silvestre

Conselho Fiscal:
GA. Zeliro Serafim, GA. Davi Fontes, GA. Jetro Cychinigff , GA. Tiago Rodriguês
GA. Aysla Andrade, GA. Jussara Miaira

Contador: Zacarias

Luiz Carlos Laurindo
Advogado
OAB, 77.598SP

Foto: 1ª CPGA.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

FRUTAS - Saúde alimentar nas festas e inicio de Verão.

No final do ano, e inicio de verão somos todos convidados as festas e aos famosos “Churrascos” para alguns totalmente fãs de carne, e outros mais conservadores em manter a boa saúde alimentar de sempre. Mas nos dois casos temos em comum o gosto pelas frutas. As vezes esmagadas, trituradas formando sucos, e na maioria das vezes enfeitando e dando a beleza natural e alimentar nas mesas da maioria dos brasileiros, não importando a classe econômica. As propriedades medicinais das frutas foram sendo comprovadas através dos tempos e confirmadas por análises químicas e experiências científicas. Ao longo da história da humanidade, o homem vem descobrindo que as frutas possuem não só um grande valor nutritivo, mas também efeito medicinal. As frutas hoje estão entre os maiores agentes terapêuticos dados pela natureza. Todas as frutas são dotadas de propriedades medicinais. Umas são adstringentes, outras emolientes. Umas excitam as funções gástricas, outras ativam as funções intestinais. Umas desintoxicam o organismo, dissolvendo e expelindo os venenos; outras suprem ao organismo as necessárias vitaminas e os indispensáveis sais.Na estação da cultura ao corpo, dos cuidados com a saúde e os excessos de gorduras, as frutas aparecem como aliadas importantes e necessárias ao organismo. Fornecem os minerais e as vitaminas, que regulam o funcionamento do corpo, protegendo-o contra as doenças. Sob o ponto de vista químico e de composição, os principais nutrientes das frutas são as Vitamina C e A, Cálcio, Fósforo, Açúcar e Gorduras. Cada elemento possui funções específicas e nutricionais de imenso valor para a saúde. Assim, vemos que a Vitamina C - Mantém agregadas as células do organismo, evita hemorragias e protege as gengivas e os dentes. A Vitamina A - Protege a vista, a pele e as membranas que revestem as cavidades do nosso corpo. Cálcio e Fósforo - Constroem, protegem e recuperam ossos, músculos e sangue. São também de grande importância para os tecidos nervosos. Açúcar e Gordura - Fornecem energia importante para a boa disposição do organismo. Texto completo - Link:Cursos/Produtos/Ecotur/Serviços.

Texto: EMPRABA - Foto: cartelli.eev.com.br

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

MEC descredencia 61 pós-graduações e aprova outras 123

Alguns dos programas que não conseguiram conceito mínimo para continuar são das instituições mais renomadas do País. O Ministério da Educação vai descredenciar 61 programas de pós-graduação, que não conseguiram a nota mínima da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O órgão também aprovou 123 novos programas que estão autorizados a iniciar as atividades a partir de 2010. A Capes avalia trienalmente todos mestrados e doutorados do Brasil. O resultado preliminar foi divulgado em setembro e as instituições tiveram dois meses para recorrer do parecer dos especialistas, especialmente os 75 que haviam ficado com conceito 1 e 2, insuficiente para manter as atividades. Destes, 14 conseguiram mudar suas notas, mas 6 permaneceram com 1 e 55 com 2. Entre os descredenciados, há programas de instituições renomadas: 7 são da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), 2 da Universidade Federal Fluminense, 1 da Universidade de São Paulo (USP), 1 da Universidade de Brasília (UnB), 1 da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e 1 de Campinas, entre outros. Os cursos que terão de ser fechados são 2,2% do total. Outros 11,8% ficaram com notas 6 e 7 que representam excelência e os demais com as notas intermediárias. Entre os 123 novos programas, muitos refletem as necessidades do mercado. Foram admitidos 11 novas pós em Educação, 10 em Engenharias e 9 em Ecologia. A área médica continua sendo a que mais se amplia com 10 novos programas em Ciências Biológicas, 3 em Medicina e 3 em Saúde Coletiva. Também foram aceitos 9 Interdisciplinares, quase todos voltados à saúde.

Fonte: Portal IG/Site - MEC - Foto: Site oficial do MEC - Ministro e Conselheiros.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Florianópolis vai sediar “Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica” - Novembro de 2011

Santiago de Compostela (Espanha) — O conselho internacional do Fórum Mundial de Educação (FME), reunido no domingo, 12, na capital da Galícia, aprovou por unanimidade a escolha de Florianópolis como sede do 2º Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica. O encontro está previsto para novembro de 2011. Com a escolha da capital catarinense, será possível instalar o comitê organizador, formado por entidades e instituições parceiras. Elas serão responsáveis pelo encontro, ao lado do Ministério da Educação e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina. O conselho também definiu as atividades que apresentará no FME, que ocorrerá simultaneamente ao Fórum Social Mundial, de 6 a 11 de fevereiro de 2011, em Dacar, Senegal. Uma delas será o resgate da memória das cartas-síntese dos fóruns já ocorridos, com atualização da agenda para o próximo período. Outra, a realização de debate sobre o momento da educação mundial, com destaque para a África. O conselho internacional do FME reuniu-se durante o Fórum Mundial de Educação Temático (FMEt), em Santiago de Compostela. No encontro, que terminou no dia 13/12/2010, foi debatido o tema Educação, Pesquisa e Cultura de Paz, com a participação de representantes do Brasil, Uruguai, Espanha e Colômbia. Texto completo - link: Noticias/Opiniões dos Gestores Ambientais
Texto: Felipe de Angelis - foto: sipires.blogspot.com

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

3ª Audiência do Rodoanel - Trecho Norte - A difícil busca da equação sustentável: Ambiental x Econômico

Neste dia 15/12/2010 realizou-se a audiência Publica do Trecho Norte do Rodoanel. Após o tumulto ocorrido no município de Guarulhos devido ao volume de pessoas que compareceu naquela Audiência Publica, na cidade de São Paulo foi possível estruturar de forma adequada o volume previsto da população interessada. Os trabalhos tiveram seu início com a apresentação do empreendedor e responsável pela execução da obra a empresa Estatal DERSA. Nesta audiência tivemos a presença de Autoridades em seus diversos níveis, mas destacamos a presença do Dr. Eduardo Jorge – Secretario de Meio Ambiente do Município de São Paulo. A mesa foi conduzida pelo Sr. Germano Seabra, e com a presença dos representantes da CETESB e CONSEMA. Conforme a orientação do “Presidente da Mesa” todos os presentes teriam direito de se manifestar, porém respeitando as etapas a serem cumpridas em uma ordem já determinada: Empreendedor, Representantes das Ong´s do CONSEMA presentes e sociedade civil em tempos previamente estabelecidos. E após a apresentação do DERSA, a próxima apresentação ficou para o Ga. Jose Ramos de Carvalho que representou às ONG. ACEPEUB (Assoc. e Centro de Estudos e Pesquisas Ecológicas de Ubarana/SP) do CONSEMA. Em sua apresentação o Ga. Ramos destacou principalmente a participação existente na região do Vale do Rio Cabuçu de três grandes produtores de Monóxido de Carbono: 1)Terminal de Cargas Fernão Dias, 2) Junção Via Dutra x Via Fernão Dias e seguência da Av. Aricanduva e 3)Aeroporto Internacional de Cumbica. Comentou a preocupação da instalação de um quarto produtor de monóxido de carbono na base Sul da Serra da Cantareira, e principalmente dentro do Vale do Rio Cabuçu que tem a forma geográfica semelhante a uma grande “Cratera” de 23 km², que colabora diariamente na formação fenômeno antrópico “Ilha de Calor”, e com a instalação do 4º. Produtor de Monóxido de Carbono – Rodoanel Trecho Norte irá sem duvida acrescentar um volume maior de Dióxido de Carbono, gerando ainda mais doenças respiratórias e cardíacas da qual já convivemos e observamos nos idosos e crianças da região. Na seguência o Prof. Dr. Antonio Manuel, destacou em sua apresentação a importância do acervo histórico, ambiental e cultural que a região da Serra da Cantareira representa no caso para o Brasil, e como patrimônio tombado pela UNESCO. E criticou a instalação do Trecho Norte na base Sul da Serra da Cantareira onde estudos realizados anteriormente indicavam como a pior alternativa dentro do âmbito ambiental e somando-se agora com as questões sociais. Texto completo - link: Projetos

Texto e foto: Ga. José Ramos de Carvalho (Dir. de Comunicação)

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

RODOANEL – TRECHO NORTE – Audiência publica na cidade de Guarulhos – A população rejeita, e audiência é adiada

Com o auditório tomado com a presença da população da cidade de Guarulhos, as Audiências Publicas do “Rodoanel – Trecho Norte”, enfrentou seu primeiro desafio de fato. Enquanto as pequenas cidades por onde o Rodoanel vai passar estavam realizando suas Audiências em clima ameno com o famoso “Pires na Mão” de reivindicações junto ao Governo do Estado. Esta audiência na Universidade de Guarulhos (UNG) teve a participação mais acentuada da população que está preocupada com os níveis de desocupação e os impactos que serão produzidos por esta obra. A mesa Presidida pela Secretario Executivo do CONSEMA – Sr. Germano Seara Filho e com a presença do Conselheiro (suplente) Engo. Gilberto Freitas (Ong. ACEPEUB) e o Prefeito de Guarulhos Sr. Sebastião Almeida – os trabalhos tiveram seu inicio com a exposição do DERSA com relação aos benefícios que este Trecho Norte irá oferecer ao município de São Paulo e região. Após esta apresentação inicial, a responsável pelas questões ambientais e sociais iniciou sua apresentação, mas foi interrompida varias vezes por conta de seus estudos e pesquisa, e pela opção proposta por este “Trecho Norte” da estrada que irá passar na base da Serra da Cantareira dividindo-se em áreas de amortecimento e urbana. Os interesses diante da exposição tornam-se evidentemente particulares e logicamente todas as representações de segmentos variados que serão atingidas se manifestaram, e o tumulto ficou evidente, a segurança do auditório da UNG ficou comprometida e assim estava muito difícil para a mesa conduzir a “Audiência Publica” e o Presidente da Mesa – Sr. Germano Seara Filho, em acordo com as autoridades municipais de Guarulhos, decidiu adiar esta Audiência Publica para uma nova data a ser definida, e o Prefeito de Guarulhos – Sr. Sebastião Almeida se comprometeu-se devido à presença numerosa da população, em abrigar a Audiência Publica do Rodoanel – Trecho Norte em um espaço maior, e principalmente com toda a segurança de sua realização. A Audiência do Rodoanel Trecho Norte no município de São Paulo, será realizada neste dia 15/12/2010 às 17:00 hs na Casa de Portugal, junto a Estação Liberdade do Metro.

Texto e foto: Ga. Ramos (Diretoria de Comunicação e Imprensa)

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

BID – assina contrato de US$ 162,5 milhões para conservação e restauração do Parque Estadual da Serra do Mar e Estação Ecológica Juréia-Itatins

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o governo de São Paulo assinaram hoje contrato de financiamento no valor de US$ 162,5 milhões para a conservação e restauração do Parque Estadual da Serra do Mar, da Estação Ecológica Jureia-Itatins e de unidades de conservação marinhas e costeiras e de seu entorno. O objetivo é recuperar e conservar áreas da Mata Atlântica, como parte do Programa de Recuperação Socioambiental da Serra do Mar. De acordo com o BID, este é o maior projeto que a instituição financiou para enfrentar passivos ambientais na América Latina. No Parque Estadual da Serra do Mar, maior trecho contínuo protegido da Mata Atlântica no Brasil, com uma área de 315 mil hectares, o objetivo será recuperar área degradadas em Cubatão (SP) e remover espécies vegetais e animais não nativas. Além disso, 6,7 mil famílias serão reassentadas e deixarão assentamentos não regulados ou ilegais no parque. Na Estação Ecológica Jureia-Itatins, o programa prevê a construção de infraestrutura para proteção da área e o uso público do local e a regularização da propriedade de terras. O empréstimo do BID corresponde a 34,5% do projeto e o restante dos recursos virá do Estado. O prazo do contrato é de 25 anos, com período de carência e desembolso de três anos e taxas de juros baseadas na Libor. O contrato foi assinado pelo representante do BID no Brasil, Fernando Carrillo-Flórez, e pelo governador de São Paulo, Alberto Goldman (PSDB).

ANNE WARTH - Agência Estado - Foto: vemconosco.wordpress.com

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

PONTOS-CHAVE / PÓS-CANCUN A CORRIDA PARA O FUTURO JÁ COMEÇOU!

A CoP-16 acaba de terminar, com a adoção dos Acordos de Cancun. Trata-se de progressos ainda tímidos, mas melhores do que se esperava inicialmente. Não podemos falar de avanços revolucionários, no entanto destacamos duas coisas muito importantes: (a) não houve, como se temia, um retrocesso na adesão e perspectivas de continuidade do Protocolo de Kyoto e (b) foram estabelecidas bases bem mais firmes para compromissos multilaterais vinculantes em 2011, que também já servem para sinalizar o caminho para acordos bilaterais ou regionais, e para ações das empresas e outros atores sociais.
Os pontos-chave para o debate para ajudar os parceiros na avaliação e na comunicação dos resultados destas negociações. Os resultados das negociações climáticas da CoP-16 em Cancun representam um grande impulso para a corrida rumo um futuro de baixo carbono. Os governos chegaram a um acordo que dá um espírito otimista ao mundo, e indica que as negociações internacionais podem chegar a acordos vinculantes, justos e ambiciosos para enfrentar as mudanças climáticas. Não aconteceu em Cancun, mas o resultado desta conferência cria uma base promissora para um sucesso na CoP-17, em Durban no ano que vem. Parece que finalmente os governos estão reagindo frente ao crescimento do movimento climático e às ações práticas de mais e mais pessoas que estão “colocando a mão na massa”, após o desânimo surgido como conseqüência da falta de resultados em Copenhague, na CoP-15. Os resultados de Cancun refletem os esforços de um grande número de países progressistas, comunidades, empresas e indivíduos em todo o mundo. Cancun não conseguiu levar o processo de negociação multilateral até o final. Em vez disso, devemos ainda continuar brigando. Mas a corrida rumo ao futuro já começou. Finalmente a pressão pública pela mudança começou a influenciar as ações políticas nas negociações internacionais. O nosso trabalho é acelerar ainda mais este ritmo, já que o acordo em Cancun deixa importantes perguntas na mesa e precisa ser fortalecido para representar uma resposta positiva com relação às mudanças climáticas. Cancun mostrou que a grande maioria dos países está pronta para se comprometer, e que muitos querem contribuir com uma resposta global ambiciosa com relação às mudanças climáticas, que possa ajudar na transição da economia global, gerando benefícios para todos. Texto Completo - Link: Noticias/Opiniões dos Gestores Ambientais

Informativo - Coordenação da Campanha TicTacTicTac
Rubens Born
Esther Neuhaus
Aron Belinky
contato@tictactictac.org.br
www.tictactictac.org.

Foto: virtual-travel.info

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

A Conferência Mundial de Meio Ambiente - Cancun/México 2010 – Resumo dos encontros e ações

Resumo da situação atual

Foi publicada uma reportagem dizendo que o Ministro Oficial da China Huang Huikang mencionou “Podemos criar uma resolução que possa ser vinculante para a China. No marco da convenção, podemos tomar uma decisão juridicamente vinculante”. Certamente, a China se refere a sua meta voluntária, mas isto poderia mudar o jogo. No mínimo, estabelece o tom correto para os negociadores, e poderia abrir o dialogo se outros países como Japão e Estados Unidos deixassem a retórica do lado e aumentassem a vontade política para chegar em Cancun a um ”acordo compreensivo”.No tema Finanças, existe uma preocupação de que países como Estados Unidos, Reino Unido, Canadá e Austrália deixem de apoiar o estabelecimento de um fundo financeiro, de adaptação e mitigação em países desenvolvidos. A sociedade civil está denunciando estas objeções, pois todos estes países associados com o acordo de Copenhague se comprometeram a estabelecer este fundo. O financiamento para países em desenvolvimento continua sendo um tema decisivo tanto por motivos de necessidade como para o aumento da confiança nas negociações. Com relação às florestas, as lacunas que se encontram no esboço do texto no parecem levar a nenhum lado, enquanto os países não apresentem um texto com o qual todos estejam de acordo como base para a negociação – talvez a pressão esteja funcionando – veja abaixo. Sim embargo, sobre as medidas para reduzir o desmatamento nos países em desenvolvimento (REDD), uma das partes parece estar bloqueando o consenso – Estados Unidos

O que está acontecendo?

Mais de 3000 pessoas de diferentes movimentos sociais e organizações da sociedade civil, assim como camponeses e agricultores de todo México e catadores de lixo do México e da Índia participaram em uma marcha hoje, dia 7, no centro de Cancun. A TckTckTck, Greenpeace, 350.org e Oxfam também participaram. A marcha terminou no Palácio Municipal, na Praça da Reforma, onde os participantes puderam visitar duas exposições fotográficas e ouvir música interpretada pelos Jaraneros Estanzuela de Tlacotalpan, Veracruz. Vejam a conversa entre a Secretaria Executiva da UNFCCC Christiana Figueres e o pessoal do projeto “Adote um Negociador”: http://adoptanegotiator.org/2010/12/06/christiana-figueres-on-hope-and-necessity/

Brasil e América Latina na COP-16

Brasil, África do Sul, Índia e China, os países BASIC, disseram que não apoiariam um acordo na COP16 até que um segundo período de compromisso do Protocolo de Kyoto seja assinado. Além disso, pediram que se chegasse a um acordo para agilizar o fluxo de dinheiro do fundo para as mudanças climáticas que foi prometido pelos países desenvolvidos aos países em desenvolvimento e um acordo básico sobre transferência de tecnologia. Texto Completo - link: Noticias/ Opiniões dos Gestores Ambientais..

Texto: Este informativo é traduzido e divulgado pela Campanha TicTacTicTac. - Jornalista responsável: Esther Neuhaus. contato@tictactictac.org.br

Revisão: Efraim Neto

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

CONSEMA contraria MPF-SP com audiência pública sobre Rodoanel

Apesar da recomendação feita pelo Ministério Público Federal de São Paulo para o adiamento das audiências públicas marcadas para dezembro sobre o trecho norte do Rodoanel, o Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) manteve o calendário e realiza nesta tarde, em Arujá (SP), a primeira das audiências. Segundo o MP, a recomendação atendeu a uma reivindicação dos moradores das áreas atingidas pelas obras, que já reuniram 9.200 assinaturas em um documento que solicita o adiamento das audiências públicas e sua realização em local próximo da comunidade. Com isso, o Ministério Público esperava garantir maior participação popular. Pelo calendário original, segundo a assessoria do MP, as três audiências públicas agendadas acontecerão em época de férias escolares e próximas das festas natalinas. Após a primeira, nesta terça, estão marcadas mais uma audiência no dia 15 de dezembro, em Guarulhos, e a terceira no dia 16 de dezembro, na região central de São Paulo. O documento aponta a "falta de destaque da realização de tais audiências no portal da Secretaria do Meio Ambiente, no qual, em espaço próprio sobre o empreendimento Rodoanel, nada informa sobre o licenciamento deste trecho". A procuradoria também considera fundamental a participação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), na audiência, já que o órgão licenciará o empreendimento, em conjunto com a Secretaria Estadual de Meio Ambiente.

Texto: portal terra

MPF/SP – Recomendou ao CONSEMA o adiamento das audiências publicas – Rodoanel Trecho Norte.

O Ministério Público Federal em São Paulo recomendou ao Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) o adiamento de audiências públicas sobre o Trecho Norte do Rodoanel para depois das festas de fim de ano, para garantir maior participação popular. As audiências fazem parte do processo de licenciamento ambiental da obra. O G1 entrou com contato com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente, que deve se manifestar ainda nesta segunda-feira.Segundo o MPF, pelo calendário original, as três audiências públicas agendadas acontecerão em época de férias escolares e proximidade de festas natalinas. A primeira delas está marcada para esta terça-feira (7) em Arujá; a segunda acontecerá no dia 15 de dezembro, em Guarulhos, e a terceira no dia 16 de dezembro, na região central de São Paulo.O MPF atende a uma reivindicação dos moradores das áreas atingidas pelas obras, que já reuniram 9,2 mil assinaturas em um documento que solicita o adiamento das audiências públicas e sua realização em local próximo da comunidade. A procuradora da República Ana Cristina Bandeira Lins, que assina a recomendação, destacou que o abaixo assinado demonstra o grande interesse da população atingida em participar da audiência pública O documento aponta a falta de destaque da realização de tais audiências no portal da Secretaria do Meio Ambiente, no qual, em espaço próprio sobre o empreendimento Rodoanel, nada informa sobre o licenciamento deste trecho. A procuradora também considera fundamental a participação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) na audiência, já que o órgão licenciará o empreendimento, em conjunto com a Secretaria Estadual de Meio Ambiente. O Ministério Público Federal em São Paulo recomendou ao Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) o adiamento de audiências públicas sobre o Trecho Norte do Rodoanel para depois das festas de fim de ano, para garantir maior participação popular. As audiências fazem parte do processo de licenciamento ambiental da obra. O G1 entrou com contato com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente, que deve se manifestar ainda nesta segunda-feira. Segundo o MPF, pelo calendário original, as três audiências públicas agendadas acontecerão em época de férias escolares e proximidade de festas natalinas. A primeira delas está marcada para esta terça-feira (7) em Arujá; a segunda acontecerá no dia 15 de dezembro, em Guarulhos, e a terceira no dia 16 de dezembro, na região central de São Paulo. O MPF atende a uma reivindicação dos moradores das áreas atingidas pelas obras, que já reuniram 9,2 mil assinaturas em um documento que solicita o adiamento das audiências públicas e sua realização em local próximo da comunidade. A procuradora da República Ana Cristina Bandeira Lins, que assina a recomendação, destacou que o abaixo assinado demonstra o grande interesse da população atingida em participar da audiência pública O documento aponta a falta de destaque da realização de tais audiências no portal da Secretaria do Meio Ambiente, no qual, em espaço próprio sobre o empreendimento Rodoanel, nada informa sobre o licenciamento deste trecho. Texto completo - Projetos
Texto: Portal G1
Informativo: Dra. Cristina Greco

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Rodoanel Trecho Norte - Escoar produção somente com caminhões é fortalecer um modêlo insustentável

Paulo Gomes da Costa , tecnólogo em Gestão Ambiental formado pela FMU , realizou projetos de cunho sócio ambiental voltados a revitalização e sustentabilidade do bairro do Braz e Bacia do Cabuçú de Baixo ambos no Município de São Paulo , além do mapeamento das fragilidades potencial e emergentes ecomorfodinamica dos ambientes naturais e ZEE do Município de Natal RN. Atuou na elaboração dos Sistemas Biodigestor e Biomassa para o município de Jarinu – SP , bem como atua efetivamente na área de sistema de orçamentação de sinistros veiculares e tributação rural desde 1999 , este ultimo o qual me engajou na causa ambiental através de contatos com pessoas de auto conhecimento no setor . Também é sócio da Fator-E , onde desenvolve projeto empreendedor voltado ao de gerenciamento de resíduos de oficinas automotivas no município de São Paulo e Diretor Presidente da Ass.Cult. R.F. Vilas de Portugal , entidade sem fins lucrativos com atividades voltadas a Cultura da comunidade portuguesa ,esta que por sua vez esta sediando algumas reuniões com o tema de “Rodoanel Norte – Não” . A questão do rodoanel - Trecho Norte , nos lembra o que no passado fizeram com o Rio Tiete quando o retificaram perdendo suas característica a qual até hoje a população sofre com diversos problemas e milhões de Reais já foram inseridos nele para remediar os danos gerados pela falta de planejamento. São Paulo precisa de mais sistemas de transporte público, expansão de metrô, trens e alternativas de transporte, ampliando mais as alternativas de locomoção alem de uma cooperação entre os empresários das diversas categorias para que em conjunto com os sindicatos acertem-se horários diferentes entre si , de entradas e saídas dos funcionários em seus empregos desafogando assim as vias publicas as quais entram em colapso nos horários de picos já conhecidos pela população . Inserir este sistema viário para interligar diferentes cidades utilizando-o para o escoamento de produção somente com caminhões é fortalecer um modelo insustentável , alem do mais , lembrando que este traçado terá seu trafego de caminhões menor que os demais inviabilizando a injeção de recursos neste setor quando comparado aos impactos ambientais em jogo. O valor de R$ 5 bilhões que se comenta em injetar neste empreendimento, sem contar que estará sujeito a alcançar os R$ 7 bilhões até a conclusão do projeto, este valor dá para elaborar outras estratégias para mudanças na política de transporte da cidade. Sem derrubar a Cantareira . A Serra da Cantareira é uma das maiores florestas em área urbana do mundo , cadastrada pela UNESCO como uma das 360 reservas ( Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo ) e que por sua vez é uma área de preservação permanente e patrimônio difuso da população. Interfere diretamente na qualidade do ar , na regulação do clima , no abastecimento do sistema hídrico do Complexo Cantareira que atende a 45% da população da Metrópole. Texto completo - Link: Noticias/Opiniões dos Gestores Ambientais.

Texto: Ga. Paulo Gomes Costa (Graduado FMU)
Foto: Ga. Ramos

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

PLC 001/2010 regulamenta o Art. 23 da Constituição Federal, e altera o foco da Gestão Ambiental Nacional. Quais são os cuidados?

Todos nós sabemos que no apagar das luzes de transições governamentais, determinados projetos são aprovados de maneira muito mais célere do que ao longo do ano, principalmente se considerarmos que determinados interesses estão em jogo e seus defensores podem não estar no Planalto em 2011. Para a semana que vem, a senadora Marina Silva solicitou uma audiência pública convocando a presença de determinadas lideranças dos 3 setores para que se pronunciem acerca do Projeto de Lei Complementar n. 001/2010 que regulamenta o artigo 23 da Constituição Federal, especificamente no que tange a gestão ambiental nacional. Assim como as alterações do Código Florestal, o PLC é polêmico em muitos artigos (em especial o art. 17) e se o objetivo principal é colocar mais entidades com foco e atenção à gestão ambiental descentralizada, peca principalmente na forma de fiscalização ambiental a que se propóe, dando de uma hora para outra força demais à muitos órgãos ambientais locais que hoje ainda não se encontram em condições de exercer suas funções, quiçá com o aumento significativo proposto, podendo acarretar, óbviamente, o crescimento das pressões "externas" de interesses sabidamente controversos à preservação ambiental. É claro que a gestão ambiental descentralizada é importantíssima para o maior controle ambiental mas por outro lado, não pode ser feita de forma instantânea, há que ser realizada de maneira gradativa e consciente pois uma vez prejudicado, não há mais retorno. Convoco a todos aqui presentes a acompanharem atentamente o andamento deste PLC até o final do ano pois devemos, como cidadãos, analisar qualitativamente o que nossos governantes realmente querem e não de forma impulsiva pois todos nós sabemos o quanto é difícil modificar uma legislação após sua publicação;

Link: http://www.senado.gov.br/atividade/materia/detalhes.asp?p_cod_mate=95349

Informativo: Ga. Cecília Boscolo - foto: ncpam.com.br

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Fundação Cultural Palmares - Oficina de Capacitação

No próximo sábado, dia 4 de dezembro, às 9h, a Fundação Cultural Palmares realizará a última oficina para a apresentação do Edital Procultura Juventude Negra, no auditório do Museu Afro Brasil, em São Paulo. A oficina será ministrada por técnicos da Fundação Palmares e conta com o apoio da Representação Regional de São Paulo do Ministério da Cultura e do Museu Afro Brasil. Os interessados em participar deverão enviar nome, número do documento de identidade e telefone para o endereço eletrônico karina.gama@palmares.gov.br. Mais informações podem ser obtidas por meio do mesmo e-mail ou pelo telefone (61) 3424 0188 (61) 3424 0188 , com Karina Gama, ou na Representação Regional do Ministério da Cultura no estado de São Paulo, com Henry Durante e Fred Roth, nos telefones (11) 5539-6304/08 5539-6304/08 e no e-mailcomunicacao.sp@cultura.gov.br

Texto completo - link: Projetos - Informativo: Ga. Gervasio - 1o. Sec. da APGAM.

Texto e Foto: site oficial - Fundação Cultural Palmares

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Gestão Ambiental - O Escotismo e o Meio Ambiente, uma história de vida.

Em uma tarde de dezembro de 1992, eu ainda com 12 anos de idade estava em minha sala de aula quando entrou um senhor vestindo um uniforme caqui, de chapelão na cabeça e lenço no pescoço. Eu já havia visto alguns desses caminhando e realizando jogos na escola e na rua, mas nunca me interessei a não ser pelos acampamentos de que tanto ouvi dizer. Para minha surpresa aquele senhor estava fazendo um convite às crianças para participarem de uma das melhores atividades realizadas pelos escoteiros: um acampamento. Esse evento teria a duração de dois dias e realizaríamos diversas atividades típicas escoteiras. Empolgado com a idéia de estar fora de casa, sem meus pais e com aquela sensação de liberdade típica de um pré-adolescente não hesitei em pegar os informativos e levar à minha mãe que parecendo saber o que estava fazendo, autorizou sem questionamento algum. Aqueles dois dias de acampamento foram muito importantes para aqueles jovens patas-tenras que estavam tomando suas primeiras lições de disciplina e diversão, principalmente para mim. Atividades variadas, jogos descontraídos, técnicas mateiras e muitas lições sobre deveres para com Deus, Pátria e o Próximo. Naqueles dois dias percebi o quanto vivíamos afastados de uma vida junto à natureza. Acampar, olhar as estrelas, escalar uma arvore para ver mais longe e com mais amplitude... Pude perceber o quanto era mais forte e feliz naquele espaço da qual eu estava integrado pelo menos naquele momento. O tempo foi passando e continuei no escotismo, vestindo meu uniforme caqui e vivenciando a Promessa e a Lei Escoteira. A cada dia, uma nova descoberta me trazia a vontade de continuar buscando e pude entender o significado da natureza em minha vida. Isso ficou ainda mais claro quando, mais adulto, percebi que o escotismo foi o movimento pioneiro nas questões ambientais o que está representado em sua lei, artigo 6º que diz: O escoteiro é bom para os animais e plantas. Em sua maioria, as atividades escoteiras são feitas ao ar livre, em contato com a natureza. Essa proximidade tão íntima dá ao jovem a plena convicção de que o ser humano e a natureza são um só. Texto completo - Link: Noticias/opiniões dos Gestores Ambientais

Texto e foto: David Marcel - Graduando - EACH/USP - Diretor Regional da 11ª Área Escoteira Metropolitana Norte - Diretor Presidente do 126º Grupo Escoteiro Jaçanã – SP - Membro do Conselho Fiscal da APGAM

Contatos: davimarcel@gmail.com





sexta-feira, 26 de novembro de 2010

INPE recebe novo supercomputador

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) recebeu seu novo supercomputador no dia 4/10/2010, às 7 horas, num vôo fretado, proveniente de Miami, Estados Unidos. O supercomputador fabricado pela unidade de Pesquisa e Desenvolvimento da Cray Inc. Para o transporte rodoviário e aéreo, nos trechos dos Estados Unidos e Brasil, o supercomputador foi desmontado e acondicionado em 84 volumes. Cinco caminhões climatizados cuidaram do transporte da carga entre Chippewa Falls, região norte dos Estados Unidos, até Miami, sudeste do país. No aeroporto, a carga foi dividida em 24 paletes para o transporte aéreo, num avião DC-10. Sete caminhões cuidaram do transporte do supercomputador pela Rodovia Presidente Dutra até o Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), do Inpe de Cachoeira Paulista. Todo o transporte do supercomputador, desde o momento em que a carga for retirada da fábrica da Cray, nos Estados Unidos, até a chegada no Centro de Dados do Cptec/Inpe, foi mantido um ambiente à temperatura média de 10ºC. Somente após um período de 24 horas no interior do prédio do Cptec, para uma nova fase de climatização, será iniciada a abertura dos volumes.Logo após a montagem, o supercomputador será ligado, passando por um processo de customização, e envolverá a adaptação e instalação de softwares operacionais, monitorados pelo grupo de Operação e Suporte do CPTEC. Já o processo de migração dos modelos operacionais de previsão de tempo, clima e ambiental do Cptec, e daqueles relacionados às projeções de cenários de mudanças climáticas do Centro de Ciências do Sistema Terrestre (CCST), deverão ocorrer nos meses seguintes.A expectativa é de que o novo supercomputador esteja processando diariamente os modelos operacionais de previsão meteorológica e ambiental no início do próximo ano. O novo supercomputador adquirido com recursos do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), o novo sistema de supercomputação será instalado no INPE de Cachoeira Paulista (SP) para utilização pelos Centros de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec) e de Ciência do Sistema Terrestre (CCST) do próprio Instituto, além dos grupos de pesquisa, instituições e universidades integrantes da Rede Brasileira de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas (Rede Clima) do MCT, do Programa FAPESP de Pesquisa em Mudanças Climáticas Globais e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) para Mudanças Climáticas. Texto completo - Link: Projetos
Texto e foto: Site Oficial INPE

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Empresas colhem Gestor Ambiental

No ritmo da preocupação mundial com equilíbrio ambiental, social e econômico, empresas semeiam os primeiros passos na jornada para adotar conceitos sustentáveis. Essa nova prioridade já rende bons frutos a profissionais afinados com o tema, especialmente aos que amadureceram a capacidade de gestão e o olhar multifacetado tanto sobre a companhia como sobre questões socioambientais. "As empresas estão mudando o foco de ambiente para uma visão mais integrada de sustentabilidade. Antes cuidavam dessa área de forma fragmentada. Agora buscam centralizar esse assunto em uma diretoria", avalia Mario Monzoni, coordenador do Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV-SP (Fundação Getulio Vargas de São Paulo). Segundo ele, as companhias mais adiantadas nesse processo são as maiores, as mais globalizadas e as que têm capital aberto, já que há um índice especial para avaliar as empresas sob um viés socioambiental. Trata-se do ISE (Índice de Sustentabilidade das Empresas), que reúne na Bovespa as firmas de capital aberto com as melhores práticas sustentáveis. De 28 em 2006, as participantes passaram a 34 neste ano. "Procuram consultores para se adequar aos quesitos do ISE e reforçam seus quadros de profissionais por causa disso", argumenta Monzoni. Segundo especialistas, os bancos largaram na frente na organização de departamentos especializados em analisar questões socioambientais. "Preocupam-se também empresas que geram impacto ambiental, como as de mineração, papel e celulose, cimento e energia", diz José Augusto Drummond, professor de fundamentos das ciências ambientais do Centro de Desenvolvimento Sustentável da UnB (Universidade de Brasília). Texto completo - Link: Curriculos

LIA VASCONCELOS
RENATA DE GÁSPARI VALDEJÃO
Colaborou BRUNA MARTINS FONTES, da Redação
Colaboração para a Folha de S.Paulo
Fotos: aula teorica - www. pga.pgr.mpf.gov.br

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Trânsito em SP melhora, mas ar fica mais poluído

A inauguração do Trecho Sul do Rodoanel e da nova Marginal do Tietê levaram à redução nos congestionamentos na capital paulista nos seis primeiros meses de operação - 11% na média dos horários de pico entre abril e setembro. Mas essas melhorias não se refletiram na qualidade do ar: nas oito estações de medição da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) na cidade houve aumento na concentração de poluentes. Um levantamento do Estado com base nos relatórios diários da Cetesb de abril a setembro mostra que a quantidade de medições consideradas boas pela companhia (são várias diariamente) passou de 1.533 para 911 na comparação com o mesmo período de 2009 - redução de 40,5%. O índice reflete a quantidade de partículas suspensas no ar, principalmente as que saem dos escapamentos dos veículos. A escala de medição é dividida em cinco: boa, regular, inadequada, má e péssima. Os registros apontam maior variação de boa para regular, mas há também pontos inadequados. Uma das explicações para a piora na qualidade do ar é o período seco pelo qual a cidade passou neste ano, o maior em décadas. Foram registrados apenas 401,9 milímetros de chuva entre abril e o início de outubro - 37,2% a menos que no mesmo período do ano passado. O tempo seco prejudica a dispersão dos poluentes. "Mas só isso não explica o aumento na concentração de poluentes", diz Simone Miraglia, do curso de Engenharia Química da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e especialista em poluição. Para ela, a saída dos caminhões das vias da cidade por conta do Rodoanel foi compensada pelo aumento na quantidade de carros. Ou seja, houve uma redistribuição na circulação. O aumento na quantidade de automóveis se comprova nas vias que foram mais beneficiadas com a saída dos caminhões: a Marginal do Pinheiros e a Avenida dos Bandeirantes. Com o Rodoanel, elas foram vetadas a veículos de carga durante o dia. Dados da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) mostram que, após a abertura do Trecho Sul do anel viário, o volume de automóveis na Pinheiros aumentou 7% (de 41 mil para 44 mil por dia) e 16% na Avenida dos Bandeirantes (de 18 mil para 21 mil por dia).

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

foto: Arquivo - Agência/Estado



sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Satélite universitário será lançado em 2012

Alunos e pesquisadores de várias universidades brasileiras em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB/MCT)Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCT) e o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) desenvolvem o projeto Itasat, que cria o primeiro satélite universitário nacional. Com orçamento anual de R$ 1,7 milhão, o Itasar é um microssatélite de coleta de dados ambientais e meteorológicos, que deve ser lançado por um foguete nacional em 2012. O Itasat está inserido no Plano Plurianual de Desenvolvimento e Lançamento de Satélites Tecnológicos de Pequeno Porte (PPA), destinado a promover a capacitação brasileira para atender a demanda pelas futuras gerações de micro e nanossatélites. A coordenação geral do projeto é feita pela AEB, tendo o ITA como responsável pela execução do projeto e o Inpe como provedor de consultoria técnica, de infraestrutura laboratorial e gestão financeira. Segundo o diretor de Satélites, Aplicações e Desenvolvimento da AEB, Thyrso Villela, o Itasat tem como missão principal a formação de especialistas na área de engenharia aeroespacial, com o desenvolvimento de tecnologias para o setor. "O primeiro satélite levará a bordo um transponder digital, que receberá e transmitirá informações, coletadas da rede de plataformas brasileira e utilizadas hoje na previsão de tempo", diz Villela. A rede nacional de Plataforma de Coleta de Dados (PCDs) é formada por mais de 800 estações, espalhadas por todo o território. Elas coletam, armazenam e transmitem, automaticamente, medidas de variáveis meteorológicas e ambientais, realizadas a cada hora e armazenadas na memória da PCD. A transmissão dos dados é feita via satélite, a cada três horas. O Itasat tem a participação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), da Escola de Engenharia de São Carlos (Eesc/USP), das universidades estaduais de Londrina (UEL), de Campinas (Unicamp), da Universidade de Brasília (UNB), e da Technical University of Berlin. Em 2009 o Itasat envolveu 32 alunos de graduação, 23 de mestrado e cinco de doutorado.

Texto: site oficial

Foto: cabral2009.blogspot.com

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Órgão ambiental multa Natura em R$ 21 milhões

Empresa afirma que vai recorrer e diz que lei brasileira é confusa, mas não crê que política tenha influenciado autuações.

O Ibama multou neste mês a empresa de cosméticos Natura em um total de R$ 21 milhões por ter acessado recursos da biodiversidade supostamente de forma irregular. Foram 64 autos de infração que se referem a processos ocorridos em diferentes anos.

A Natura afirma que vai recorrer e diz estar "segura de ter cumprido os princípios fundamentais da Convenção da Diversidade Biológica (CDB)". Tanto pesquisadores quanto empresários reclamam que a legislação brasileira atual trava a inovação - como a produção de remédios e cosméticos baseados na biodiversidade. Eles criticam o Conselho de Gestão do Patrimônio Genético (Cgen) de barrar a pesquisa no País. Anteontem, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, afirmou que era preciso urgentemente alterar a lei. "Não dá para continuar com as restrições de acesso à pesquisa. O Brasil tem dois pré-sais, o do petróleo e o da biodiversidade. São duas riquezas que merecem visão estratégica. Temos que reduzir a biopirataria e aproveitar o potencial brasileiro para dar uma nova com relação à biotecnologia. "Ontem, a ministra mudou um pouco o tom do discurso. Ela determinou a reformulação do Cgen e disse ao Estado que "há algum tempo o governo investiga atuação indevida de empresas e ONGs na Amazônia". Para ela, o órgão não vinha conseguindo dar respostas adequadas aos problemas. O Cgen é responsável pelas autorizações para exploração comercial de patrimônio genético e de conhecimento tradicional associado. Em muitos casos, os cientistas afirmam sequer ter resposta do órgão. A Natura diz que, além de muitos processos sem decisão, há casos em que o Cgen levou dois anos para aprovar uma pesquisa. O presidente do conselho, Braulio Dias, secretário de Biodiversidade do Ministério, não foi localizado para comentar as críticas. Texto completo - Noticiais/Opiniões dos Gestores Ambientais

Texto: Vannildo Mendes e Afra Balazina

Foto: blogdoenriquez.blogspot.com

Gestor Local de Meio Ambiente - APS Santa Marcelina

A Área de Movimentação de Pessoas, da APS Santa Marcelina, vem
informar que estão abertas as inscrições para o processo seletivo de
Gestor Local de Meio Ambiente.

Requisitos exigidos para participação no Processo:

• Graduação Completa.
• Especialização completa em Educação e/ ou Gestão Ambiental e/ ou
Saúde Coletiva e/ ou Experiência em Projetos Sociais e/ ou Ambientais.
• Se colaborador da Instituição:

Texto completo: link - curriculos

Informativo: Bio Fábio Moreira Costa

terça-feira, 16 de novembro de 2010

ESTÁGIOS PARA UNIVERSITÁRIOS - PREVISÃO 140 MIL VAGAS ATÉ O NATAL.

O guia para encontrar seu emprego temporário

Faça estágio nas férias em um clube ou parque de diversões. Previsão de 140 mil vagas até o Natal

Você procura um estágio de curta duração, com um ambiente de trabalho descontraído em áreas mais voltadas ao lazer ou eventos, faça como muitos estudantes americanos e europeus que usam as férias de verão para trabalhar em empregos temporários. É um setor em crescimento no país. O Brasil já é o quarto maior na oferta de vagas temporárias, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, Japão e Inglaterra. A expectativa de quem oferece essas oportunidades é que o número de vagas cresça 11% este ano, em relação a 2009. A previsão é que haja 139 mil vagas abertas até o Natal.

Turismo – As vagas temporárias para universitários estão concentradas nos setores ligados ao turismo, como hotéis, pousadas, clubes, parques, bares e restaurantes. Essas constatações estão no resultado da pesquisa feita pela Associação Brasileira de Serviços Terceirizáveis e Trabalho Temporário (Asserttem). Segundo a diretora da entidade, Jismalia de Oliveira Alves, os universitários representam 60% dos contratados e a taxa de efetivação costuma ser de 15%.
Para encontrar onde estão essas vagas você pode entrar em contato direto com as empresas do setor de turismo, que já começam a selecionar seus grupos. Outra opção é recorrer a instituições que fazem recrutamento, como aAsserttem. Veja também o que os grandes hotéis oferecem de programas de estágio. Estudantes de gastronomia podem também estagiar nos mais conceituados restaurantes, saiba como. Para ficar por dentro, acompanhe o iG Estágio e Trainee pelo Twitter.

Áreas – Embora as vagas estejam abertas para todas as áreas universitárias, há uma preferência do setor por estudantes de turismo, psicologia, pedagogia, comunicação e educação física. O trabalho está concentrado nas funções na área de entretenimento como operador de brinquedos e monitor de recreação, mas há também para garçom, serviços de quarto e de cozinha.

Eventos - Na indústria e no comércio, 70% dos contratados são universitários e a efetivação chega a 18%. As vagas são geralmente para a área de marketing e eventos, como recentemente foi feito pela Volkswagen, que contratou 120 estudantes de engenharia, desenho industrial, comunicação e administração para trabalharem no Salão do Automóvel, em São Paulo - Texto Completo - Link: Curriculos

foto: aquemealemtejo.blogspot.com

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

"ILHA DE CALÔR" - MP instaurou inquéritos civis contra 42 empresas aéreas

MP instaurou inquéritos civis contra 42 empresas aéreas para apurar danos pela emissão de poluentes sobre a cidade. Estimativas indicam que aeronaves despejam anualmente cerca de 14 milhões de toneladas de CO² na atmosfera

A pedido da Prefeitura de Guarulhos (Grande São Paulo), o Ministério Público instaurou 42 inquéritos civis contra empresas aéreas solicitando que sejam apurados os danos causados pela emissão de CO² (dióxido de carbônico – gás de efeito estufa) em operações de pousos e decolagens realizadas no Aeroporto de Cumbica. Dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e da Secretaria de Meio Ambiente de Guarulhos indicam que as aeronaves chegam a despejar anualmente 14,4 milhões de toneladas de CO² no céu de Guarulhos e Vale do Rio Cabuçu – em operações de pouso e decolagem. Na ação, o MP exige que as empresas aéreas depositem recursos em um fundo criado especialmente para a recuperação de florestas e a preservação de áreas de proteção em Guarulhos. “É incrível a quantidade de poluentes despejada pelos aviões em algumas regiões de Guarulhos. Temos que fazer algo com urgência para compensar todo o dano ambiental que vem sendo gerado nas últimas duas décadas pelo aeroporto”, afirma o secretário de Meio Ambiente de Guarulhos, Alexandre Kise. Texto completo - Link: Noticias/Opiniões dos Gestores Ambientais

Texto e foto: site oficial

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Rede Social de Justiça e Direitos Humanos - CONVIDA

11ª edição do Relatório Direitos Humanos no Brasil.

O livro é publicado anualmente com o objetivo de contribuir para o debate político, econômico e social face às diversas áreas de Direitos Humanos.

Dia 7 de dezembro (3ª-feira) às 19h.
Na Câmara Municipal de São Paulo – Viaduto Jacareí, 100 - Centro, São Paulo.

Contamos com sua participação:

Informações

Rede Social de Justiça e Direitos Humanos
(11) 3271-1237 / 3275-4789
e-mail: rede@social.org.br - www.social.org.br - Textos completo: Link - curso/produtos/serviços

Informativo: Ga. Valéria Silvestre



quinta-feira, 11 de novembro de 2010

COLABORADORES DA CUMMINS - Combatem o fenômeno antrópico "ILHA DE CALÔR"

A Associação Paulista dos Gestores Ambientais em sua abordagem referente as observações técnicas com relação a formação do fenômeno “Ilha de Calor” que vem assolando especialmente a região da divisa dos municípios de São Paulo e Guarulhos, não poderia deixar de agradecer o Secretário Alexandre Kise da Secretaria de Meio Ambiente de Guarulhos pela intensificação do Programa “Ilhas Verdes” gerenciado pelo biólogo Fabio Vieira que tem como meta combater este fenômeno “Ilha de Calor” causado por intensa produção diária de dióxido de carbono e a formação geográfica natural de nossa região.

Guarulhos ficou mais verde. Nesta quinta-feira (21), 1.200 árvores passaram a enfeitar a alça de acesso do Viaduto Cecap, nas proximidades do Aeroporto Internacional. Contudo, a finalidade do plantio está além da beleza do paisagismo. O objetivo é mais complexo: reduzir as ilhas de calor e os níveis de gás carbônico que contribuem para o efeito estufa. Imagens de satélite mostram que a temperatura do local aumenta, em média, um grau ao ano, e se mantém em torno dos 38ºC, ou seja, 10ºC acima da temperatura registrada nas regiões arborizadas, como é o caso da Base Aérea, localizada a poucas dezenas de metros de distância. A ação é resultado da primeira parceria da iniciativa privada – financiada por unidades da Cummins Brasil Ltda. em Guarulhos – com o Ilhas Verdes – programa inédito mundialmente reconhecido pela Unesco por combater o aquecimento global com ações locais. Cerca de 80 funcionários participaram da ação voluntariamente. A empresa investiu mais de R$ 20 mil na compra das mudas. E o investimento não para por aí. As árvores terão tratamento especial nos próximos dois anos, até que sejam fortes o suficiente para resistirem às agressões do tempo. Elas serão adubadas, regadas e substituídas, caso seja necessário, por uma empresa especializada. A contratação desse serviço custará aproximadamente R$ 52 mil. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente colocou biólogos à disposição dos voluntários para dar orientações sobre a concessão do local e sobre as espécies nativas mais adequadas para o plantio. Cada árvore plantada funcionará como um ar-condicionado natural, cinco vezes mais potente que um ar-condicionado comum ligado ininterruptamente por 24 horas. Os dados foram extraídos da pesquisa que deu origem ao Ilhas Verdes, financiada pela Fapesp – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, e desenvolvida pelo Laboratório de Geoprocessamento da Universidade Guarulhos em parceria com a Prefeitura Municipal. Um ano depois de sua implantação, em 2008, o programa virou lei – a primeira política pública de combate ao aquecimento global e de arborização, baseada em mapas termais – e, desde então, viabilizou o plantio de mais de 30 mil árvores em Guarulhos.

Meio Ambiente aberto às parcerias

“Precursora na parceria com o Ilhas Verdes, a unidade da Cummins em Guarulhos abre caminho para uma nova fase do programa, baseada na cooperação entre o poder público e a iniciativa privada para garantir uma cidade mais sustentável”, afirma o diretor da Secretaria de Meio Ambiente e coordenador do programa, Fábio Roberto de Moraes Vieira. “As diversas empresas instaladas no município, sobretudo as comprometidas com a sustentabilidade, devem seguir esse exemplo de ação local que, comprovadamente, terá impacto global.” Texto completo - link: Noticias/Opinões dos Gestores Ambientais.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

50 Vagas para deficientes na Scania de São Bernardo do Campo

Salário: R$ 2.266,00

Horário de trabalho: das 8:00 às 17:00
Dias trabalhados: Segunda a Sexta
Benefícios oferecidos: Assistência ência médica e odontológica,
seguro de vida, refeitório no local,
Participação nos lucros e resultados, fretado.
Requisitos: Ensino médio completo;
Texto Completo: Link - Curriculos

terça-feira, 9 de novembro de 2010

GESTOR AMBIENTAL - "CÉU DE BRIGADEIRO" COMO DIZEM OS AERONAUTAS - VOU TRABALHAR!

Sou o Danilo Nobrega Pereira, trabalho na área de segurança do trabalho e meio ambiente desde 2003. Me formei em Gestão Ambiental em 2006 na UNICID em São Paulo. Escolhi esse curso em primeiro lugar por amor a natureza, por querer estar sempre na praia ou no campo. Em segundo lugar por causa da minha profissão de Téc. de Segurança do Trabalho. Meu projeto nasceu da união de três paixões minha: A natureza, a aviação e a aventura.

Em um domingo de 2009 acordei abri a janela do quarto e o dia estava perfeito, com céu de brigadeiro como dizem os aeronautas. Nesse dia acordei com uma disposição incontrolável, não deu outra. Após conversar com a minha noiva resolvemos ir para Atibaia. Eu nem sei por que disse esse lugar parece que tinha alguém falando por mim de tanta determinação que veio do nada. Em fim! Foi um dia show, conheci muita gente da aviação e ainda ganhamos dois vôos: um de ultraleve e outro de trike. Depois desse dia nunca mais tirei o trike da cabeça penso todos os dias nele religiosamente. Comecei então a pesquisar preços, fabricantes, fornecedores, escolas, e claro uma forma de utilizar o trike como ferramenta de trabalho. Foi ai que veio a idéia do projeto de monitoramento ambiental aéreo. O projeto tem o objetivo de evitar invasões ilegais, desmatamentos e poluição dos rios através de vôos freqüentes a fim de preservar e fiscalizar uma determinada região contra esses malefícios que podem ter conseqüências irreversíveis para a região. Os vôos poderão ter caráter especial como: turismo, acompanhamento de obras, pesquisas e acompanhamento de eventos (romarias, cavalgadas, bicicross, MotoCross, corridas de jipes, shows, etc).

Aeronave

O Trike surgiu nos anos 70 na frança e voa com as mesmas propriedades físicas de qualquer avião. Tem suas origens nas Asas deltas onde foi adicionado um motor e um triciclo. São comuns na Austrália, Europa e África do Sul. É a aeronave mais simples de se pilotar além de ser muito segura. Texto completo - link: projetos

Texto: Ga. Danilo Nobrega - danilonpereira@hotmail.com .

Fotos: robots.org/mraaiaton.com